Como fazer um chatbot para a sua empresa

Como fazer um chatbot para a sua empresa

Uma das ferramentas mais promissoras para os próximos anos, o chatbot não é algo tão novo assim. NÃÃÃÃÃO? Pois é! Antes mesmo dos anos 2000 os chatbots já estavam presentes em centrais telefônicas e em serviços de autoatendimento, como em bancos, centrais de 0800 e até em canais de chat por SMS (lembra do Blah, da TIM?).

Mas foi só há cerca de dois anos que essa ferramenta tornou-se popular e acessível (a preços baixos) para todo o mercado. Agora qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento sobre internet e programação consegue programar seu próprio chatbot e automatizar o atendimento no website, Facebook, Twitter e até por e-mail. E de graça!

Desde 2015 tenho pesquisado muito sobre tecnologias e como planejar um bot para atendimento ou para automatizar processos e quero compartilhar com você como criar um chatbot para sua empresa. 

1. Trace os objetivos do seu chatbot

Comece escrevendo um documento com os objetivos que o seu chatbot deve cumprir, o que ele deve fazer e o que ele não irá fazer, em qual plataforma ele irá funcionar (site, app, Messenger do Facebook, etc) por exemplo:

O chatbot do site rafaelmaia.com vai interagir com os leitores do site para sugerir novos conteúdos e facilitar o envio de mensagens de contato

Fará o atendimento dos clientes da concessionária via app para agendar horário para revisão de veículos.

O chatbot do restaurante X vai receber pedidos através do Facebook, mas não vai bater papo com clientes.

Essa etapa é importante para que você não se perca no escopo do projeto e dos diálogos que seu bot terá respostas. Eu usei exemplos bem curtos, mas você pode detalhar um pouco mais sobre o funcionamento e os objetivos.

2. Crie o branches de diálogos

Quando você conversa com um humano, normalmente, ele consegue compreender qual é o contexto do diálogo e a partir de conhecimentos adquiridos e informações disponíveis vai formular a resposta. Se você liga para um restaurante e pergunta o horário de funcionamento, a pessoa do outro lado vai saber te responder, mas se você perguntar a ela sobre a crise dos combustíveis fósseis no mundo é bem provável que não tenha uma resposta. Por isso é necessário desenhar os branches (ramificações) de diálogos e alguns exemplos de como seria o diálogo. Nesta fase não é necessário ter muitos exemplos, precisamos de forma visual entender como será o fluxo da conversa.  Por exemplo:

O desenho do branch pode ser simples ou ter condições (sim, não) ou respostas que vão direcionar para outras ramificações, por exemplo:

Tente criar todas as ramificações principais do seu chatbot para poder ter uma dimensão de quanto conteúdo será necessário criar para completar os diálogos e quais as respostas serão necessárias para que seu cliente não caia em uma “rua sem saída” na conversa com seu bot. Para desenhar esses diálogos você pode usar uma ferramenta, como a Lucidchart.com 

3. Escolha uma ferramenta de chatbot

Quando comecei a pesquisar sobre chatbot poucas empresas ofereciam uma ferramenta funcional para montar um robô. Era tudo muito ligado a códigos, sem informações ou ajuda e a maioria delas era em inglês.

Hoje, as ferramentas evoluíram muito e a competição entre os player faz o mercado cada vez melhor, com isso temos dezenas de fornecedores de chatbot, cada um com suas funcionalidades, prós e contras. Vou listar algumas que conheço e confio

4. Implementando o Chatbot

Depois de avaliar todos esses pontos você já pode prosseguir com a implementação com a ajuda de um programador ou especialista em chatbots.

Caso você mesmo queira fazer o desenvolvimento recomendo buscar um curso na Udemy ou tutorais no Youtube. Há muito conteúdo sobre o tema e se você tiver facilidade para aprender e algumas horas de sobra, com certeza vai conseguir!

Espero que tenha ajudado. Se ficou alguma dúvida, deixe nos comentários ou entre em contato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *